images_edited.jpg
HISTÓRIA
índice.jpg
LIVE AO VIVO - 9  ANOS MATUTINO.png
LIVE AO VIVO - 9  ANOS VESPERTINO.png
AULA - TOTALITARISMO
CLIQUE AQUI.png

DE ACORDO COM O TEXTO A BAIXO, COPIE E RESPONDA O ESQUEMA (LÁPIS OU CANETA EM SEU CADERNO) LEMBRANDO EM COLOCAR SEU NOME E TURMA.

 

OBS: as respostas devem ser realizadas a lápis ou caneta sendo proibido fazer no computador ou smartphone.

 

 

CARREGUE NO CLASSROOM DA SALA OU ENVIE PARA: valdir.122112@edutec.sed.ms.gov.br.

 

PRAZO: ATÉ O DIA 21/05

 

DE ACORDO COM O TEXTO ABAIXO – CARACTERÍSTICAS DOS NAZIFASCISMO - FAÇA UM PEQUENO RESUMO DE CADA CARACTERÍSTICA (DEVE SER PREENCHIDO A LÁPIS OU CANETA SEM O USO DE COMPUTADOR OU SMARTPHONE)

 

APC4 – HISTÓRIA – PROF. VALDIR STEFFEN

 

NOME:___________________

 

TURMA: 9º(   )

 

FAÇA UM PEQUENO RESUMO (A LÁPIS OU CANETA EM SEU CADERNO) DAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO NAZIFASCISMO:

 

A. Totalitarismo (0,67)

 

B. Ultranacionalismo (0,67)

 

C. Unipartidarismo (0,67)

 

D. Culto ao líder (0,67)

E. Antissemitismo (0,67)

F. Expansionismo (0,67)

CARACTERÍSTICAS DOS NAZIFASCISMO

 

Totalitarismo:

O totalitarismo foi uma reação conservadora à democracia e ao liberalismo político e econômico. Assim, depois do desastre da Primeira Guerra Mundial, surgiu a ideia de que os governos deveriam ser fortes para serem eficientes. Caberia aos cidadãos seguirem os passos de um chefe carismático que se encarregaria de conduzir a política nacional. Os partidos políticos não deveriam existir, pois eram a expressão da discórdia.

Essas ideias foram defendidas pela direita, mas Josef Stalin, na União Soviética, utilizou o totalitarismo a fim de implantar o socialismo.

 

Ultranacionalismo: ideologia político-filosófica de extrema-direita, de teor populista e chauvinista.

O ultranacionalismo traz o sentimento de amor à nação ufanizada, com o sistema neoconservador. A base do ultranacionalismo é o nacionalismo comum, que sozinho não se trata de uma forma de pensamento político (pois não tem sistema econômico e político, normalmente).

O ultranacionalismo supõe a homogeneidade étnica como base da manutenção da ordem política e social.[1]

 

Unipartidarismo: sistema político em que só há um único partido legítimo, de modo que todas as eleições para os cargos públicos são disputados entre candidatos deste único partido e a vida política do país fica marcada pelas diferenças pontuais entre figuras que fazem parte de uma mesma orientação ideológica. Foi o sistema político que vigorou na Itália Fascista, na Alemanha Nazista e na União Soviética, é marcado por um forte apelo da propaganda, pela existência de eleições que nem sempre são representativas e pelo autoritarismo ideológico.

 

Culto ao líder: culto de personalidade, ou culto à personalidade, é uma estratégia de propaganda política baseada na exaltação das virtudes - reais e/ou supostas - do governante, bem como da divulgação positiva de sua figura. O culto inclui cartazes gigantescos com a imagem do líder, sua constante bajulação por parte de meios de comunicação e muitas vezes perseguição aos dissidentes.

Na Alemanha nazista houve um fortíssimo culto à personalidade de Hitler, a saudação de Hitler que consistia em levantar-se o braço e dizer Heil Hitler (em português Salve Hitler) era comum, especialmente por oficiais do exército, que a usavam como continência. Muitas vezes ao atender ao telefone em vez de dizer de Alô, dizia-se Heil Hitler. Hitler era considerado o "übermensch" (super-homem) e chamado de Führer (Líder).

 

Antissemitismo: refere-se a diversas formas de preconceito que se dão quando características estereotipadas são direcionadas a um sujeito, um hebreu ou, ainda, a judeus, colocando-os de forma pejorativa. A exemplo de aproveitadores, salteadores, bandoleiros, desonestos ou corruptos. Mesmo que o termo “antissemita” não se restrinja apenas aos judeus, ele faz referência à discriminação, intolerância e culto ao ódio contra os povos assírios, fenícios, hebraicos e árabes.

No contexto bíblico, ligam esses povos ao primogênito de Noé (Sem) e colocando-os como seus descentes dissemina-se ideologias de ódio aos judeus - posto que o termo foi gravado para apontar “ódio aos judeus” (judenhass) antes da guerra na Alemanha – e, pulverizado por Wilhelm Marr, um jornalista alemão.

 

Expansionismo: esse elemento da ideologia nazista defendia a formação de um grande império germânico nos territórios do Leste Europeu que historicamente eram ou haviam sido povoados por povos de origem germânica (arianos). A construção desse império (chamado de Terceiro Reich), segundo Hitler, era um direito do povo alemão por causa de sua “superioridade” em comparação com os outros povos.

De acordo com a ideia de “espaço vital”, os alemães (arianos) deveriam ser sustentados pelo trabalho dos povos “inferiores” (principalmente os eslavos). A constituição desse território almejado pelos nazistas incluiria os territórios que pertenciam à Alemanha até a Primeira Guerra Mundial, além de outros territórios de outras nações.

convert-images-pdf-windows-10.jpg
9 A.png
9 B.png
9 C.png
9 D.png
9 E.png
9 F.png